Estilo de Vida

A árvore que salvou o menino

Uma vez um menino perdeu-se na floresta. O menino teve medo. Chorou. Gritou por socorro, mas ninguém o ouviu. Uma árvore teve pena do menino, abanou as folhas e estendeu-lhe um ramo para o abraçar. O menino agarrou no ramo e ali ficou.

De repente, choveu e a árvore abrigou o menino da chuva. Trovejou e outras árvores amigas acolheram os raios para que não atingissem o menino.

E o menino teve fome e a árvore deu-lhe os seus frutos.

Mais tarde, veio gente à procura do menino. Muito aflitos, gritavam na floresta, mas só o silêncio lhes respondia. E a árvore abanou então as suas folhas com força. As pessoas acharam estranho que só aquela árvore, no meio de tantas, abanasse as folhas, sem que houvesse vento.

Foram ver e encontraram o menino acolhido nos ramos da árvore, adormecido de cansaço.

O menino voltou para casa, para os braços da mãe e do pai, para as brincadeiras com os amigos e para a escola. Sempre que podia, o menino passou a ir visitar a árvore amiga.

Mas, a floresta começou a desaparecer. Os homens começaram a cortar as árvores. O fogo ia destruindo outras. A floresta começou a perder vida e a árvore ia ficando triste, cada vez mais só e começou a ficar amarela, sem folhas, seca. A água, que corria abundante, secou. Os pássaros foram para outro sítio.

O menino protegia a árvore, mas esta, cada vez mais só, estava a morrer de tristeza.

Então, o menino plantou novas árvores, deixou que o rio corresse à vontade pela floresta e a árvore, agradecida, abanou novamente os ramos onde novas folhas verdes iam crescendo.

E o menino percebeu que os homens precisam das árvores que precisam de outras árvores, que precisam da água que precisa das árvores, que precisam do ar que precisa das árvores e que na natureza a vida de uma árvore é a vida do rio, dos pássaros, do ar, é a nossa vida.

E o menino percebeu que respeitar a natureza é respeitar vida.

Fonte: Vamos cultuvar a Paz – Histórias de Mário de Melo

💖Daniela

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *